Arquivado em Notícias Séries O Exorcista

Entrevista com Alfonso Herrera sobre a segunda temporada de O Exorcista

A estreia da segunda temporada de O Exorcista está próxima, será sexta-feira, 29 de setembro, e começam a sair entrevistas com os atores da série. Nesse caso a entrevista foi feita originalmente por AzCentral com Alfonso Herrera, e trouxemos a tradução para vocês aqui. A entrevistada por conter spoilers da primeira temporada


Muitos telespectadores conhecerem Alfonso Herrera em O Exorcista, onde o carismático ator protagoniza um jovem sacerdote batalhando com seus próprios demônios.

A tremenda série da Fox, que volta para a segunda temporada dia 29 de setembro, é apenas o primeiro pincel de fama de Alfonso. O ator mexicano, recentemente, terminou duas temporadas de Sense8 para a Netflix. Entre aqueles que falam espanhol, se tornou uma grande estrela graças aos seus anos no RBD, um grupo pop adolescente que se lançou através de uma novela em 2004 e se separou em 2009.

Amável e concentrado, Alfonso ligou durante uma pausa nas filmagens em Vancouver. A série levou a ficção para fora de Chicago e traz novos membros no elenco, incluindo John Cho. Alfonso fala da assombrosa trama que surpreendeu os telespectadores na sua primeira temporada, além da sua amizade com seu companheiro, Ben Daniels, e sua carreira musical.

A Fox demorou para anunciar a renovação da série. Você estava nervoso?
Pra gente parece que foi muito rápido. Ficamos sabendo em maio e rapidamente fomos para Vancouver filmar. Tivemos que acordar e começar a trabalhar muito, muito rápido. Foram boas notícias não apenas para os atores, mas para todos os envolvidos.

A série tem seguidores apaixonados.
Acho que os fãs do terror são muito leais. Especificamente, si eles gostam de uma série ou um filme, vão ser super leais. Se não gostam, vão fazer tudo ao contrário. Acho que por isso somos capazes de nos conectar com eles. Há essa comunicação tão interessante entre nós, então talvez essa seja a razão pela qual estamos falando de uma segunda temporada!

O Padre Tomás é um grande personagem. O que te fez querer fazê-lo? 
A complexidade do personagem. Tem muitas facetas. Além disso, a possibilidade de um personagem latino, especificamente mexicano, que não tem nada a ver com os clichês ou esteriótipos. Isso me atraiu muito. Quando li o piloto, estava muito bem escrito. Cada personagem tinha um fundo tridimensional. Cada personagem,  não apenas Tomás, tinha potencial.

Uma das potências é a química entre Ben Daniels e você. Existiu desde o começo? 
Acho que os dois, não só os personagens, mas nós como atores, viemos de origens muito diferentes. O contraste faz isso ser interessante. Você vê essas pessoas se colidindo, duas pessoas com universos completamente diferentes buscando aproximações e tentando trabalhar suas diferenças. Estou falando de Tomás e Marcus, com certeza!

E o que existe entre Ben e você na vida real?
É algo que simplesmente aconteceu. Nos divertimos muito enquanto gravamos. Inclusive se uma cena pode ser densa e obscura, cada vez que nos dizem “corta”, rimos e nos divertimos. É uma atmosfera relaxada e isso é algo incrível.

No Twitter disse que ia aprender espanhol se a série fosse renovada. 
Está aprendendo, é um aprendiz veloz!

A primeira temporada teve um dos melhores momentos quando os telespectadores souberam que o personagem de Angela Rance é na realidade Regan, do filme. Quando você soube disso?
Cheguei em Chicago quando a gente ia gravar o piloto. Ruper Wyatt (produtor executivo) estava em uma sala com Geena Davis, e estavam falando sobre seu cabelo: “Que cor deveria ter Angela?”. Estavam discutindo isso pela conexão que ia ter com Regan MacNeil. Aí foi quando conheci Geena. Foi uma pequena conexão e eles iam descobrindo essas conexões sutis com o filme original. Não tinha certeza sobre o que estava acontecendo, mas esteve lá desde o começo.

Você mencionou Genna. Ben, Kurt e você são os únicos atores que voltam da primeira temporada e a série se move para uma nova localização. É como começar de novo?
É uma atmosfera totalmente nova, uma nova área geográfica, novos atores. Bastante interessante. É como integrar o Padre Tomás e Marcus da primeira temporada a esse novo mundo. Faz isso ser mais interessante e complexo.

O que Tomás vai enfrentar nessa temporada?
Ele vai dizer adeus a sua zona de conforto, a sua família, a sua congregação e entrará nessa vida de tentar se tornar um exorcista lado a lado com Marcus. Eu o vejo como um novato que quer praticar suas habilidades. Tem muito potencial e necessita controlá-lo. Haverá um tipo de atrito com Marcus, será uma temporada interessante.

Você é católico?
Todos os mexicanos viemos de origens bem fortes de catolicismo. Não pratico nenhuma religião, mas minha família é católica.

Como você é afetado por interpretar Tomás?
Embora eu não pratique essa religião, acho que isso acrescenta mais complexidade e faz uma história mais rica. As culturas latinas desde o México até a Argentina tem uma forte conexão com o catolicismo. Acho que cada latino americano pode se conectar a isso, porque há um vínculo forte com essa religião.

Você é muito famoso na comunidade latino americana e está ficando mais famoso entre aqueles que não falam espanhol. É uma meta sua?
Desde meu ponto de vista, é sobre trabalhar. É sobre encontrar histórias interessantes para contar, personagens interessantes para interpretar. Se isso me leva ao norte, bom, estou aberto a isso. Quero encontrar histórias e personagens que me façam sair da minha zona de conforto e essa é a razão pela qual estou tão feliz de fazer parte dessa série.

Unm assunto diferente, voltaremos a ver uma reunião de RBD? 
(Risos) Foi uma época genial. Como posso dizer.. Foi um processo genial e todos aproveitamos o processo. Viajamos por todo o mundo durante esse período, essa época… mas esse período acabou. Todos e cada um dos componentes estão fazendo coisas interessantes e é algo muito bom. Mas uma reunião? Não, acho que não.

Share